Botafogo x Atlético-MG: Barroca faz testes e cogita mudanças, mas não confirma escalação

Única alteração confirmada foi a entrada de Marcelo Benevenuto no lugar de Gabriel, que está emprestado pelo Galo e não pode jogar

O Botafogo volta a campo nesta quarta-feira para tentar encerrar o jejum de três jogos sem vencer e marcar gols. E o time pode ter mudanças contra o Atlético-MG. No treino fechado desta terça, o técnico Eduardo Barroca fez alguns testes. Mas preferiu adotar a táctica do mistério: ele confirmou apenas a entrada de Marcelo Benevenuto no lugar de Gabriel, emprestado pelo Galo.

O site da Dazn transmite ao vivo e o Globo Esporte.com acompanha em Tempo Real o jogo pelas quartas de final da Sul-Americana. A bola rola nesta quarta-feira, às 21h30 (de Brasília), no Nilton Santos.

Barroca fez testes nesta terça e pode mudar a escalação do Botafogo contra o Galo — Foto: Vítor Silva/BotafogoBarroca fez testes nesta terça e pode mudar a escalação do Botafogo contra o Galo — Foto: Vítor Silva/Botafogo

Barroca fez testes nesta terça e pode mudar a escalação do Botafogo contra o Galo — Foto: Vítor Silva/Botafogo

– Vai jogar o Marcelo no lugar do Gabriel. Sobre as possíveis mudanças no time, me reservo o direito de não falar. Fiz treino, testei opções, mas ainda vou maturar minha opção final para que amanhã possamos fazer a melhor escolha.

”Não tenho hábito de fechar o treino, mas hoje era importante estar sozinho para fazer os testes e poder conversar no tom que fosse necessário. Testei algumas situações e tenho certeza que o torcedor vai ver amanhã uma equipe com a postura de buscar classificação”.

Durante o jejum que já dura mais de 270 minutos, o Botafogo acertou apenas cinco finalizações no gol em três jogos. Insatisfeito com a situação, Barroca trabalhou situações e disse que seu maior desafio no momento é conseguir fazer ajustes coletivos para que os jogadores de definição fiquem o mais perto possível do gol.

– Os ajustes coletivos que tenho tentado fazer vão muito em cima disso. Ter eles em condição de definirem as partidas. Diego, Pimpão, Erik, Luiz, João Paulo, Cícero… Tem acontecido muitas vezes de ficar com a bola, mas estando tendo muitas finalizações bloqueadas. Falta clareza para concluir. Em cima disso que tenho cobrado os jogadores. Tenho certeza que amanhã vamos poder colocar isso em prática – frisou.

Confira outras respostas de Barroca:

Problema na criação

– Falei na coletiva pós-jogo que precisava fazer as cobranças de maneira correta para não errar na mão. Se eu fizer comparativo das chances criadas contra Cruzeiro e Santos, tivemos uma evolução que não foi suficiente. Preciso continuar trabalhando, dando estímulos, cobrando, criando movimentos coletivos para que a gente finalize cada vez mais com clareza. E tudo que aumente a nossa chance de fazer gols. Sou o mais insatisfeito com isso. A situação não é adequada para o nível de jogadores que a gente tem.

Atlético-MG

– A classificação do Atlético-MG no Brasileiro diz muita coisa. Saiu da Copa do Brasil, mas se mantém em situação muito boa. Tem poderio ofensivo bem alto, investe forte e vem jogando bem. Quase reverteu a situação contra o Cruzeiro. Espero um jogo difícil, mas estou confiante de que possamos fazer um bom jogo em casa para abrir vantagem nos primeiros 90 minutos.

Derrota para o Santos

– Não é que a gente não marcou em cima contra o Santos, não marcamos no tempo certo. Sobre marcar alto, também entendo que não tem muito a ver com desproteger. Se marca alto e compacto, cria desconforto para o adversário. Vamos manter o que estamos tentando fazer sempre. Jogar para ganhar, agredir o adversário, praticar futebol com predominância técnica. O jogo de 180 minutos vale no final mesmo. Precisamos jogar uma partida boa, contra um adversário difícil. Para classificar, temos que jogar melhor que o Atlético.

GE Por Edgard Maciel de Sá — Rio de Janeiro