‘O que vejo em humanos confinados é parecido a papagaios enjaulados arrancando as próprias penas’, diz cientista

“Há um sofrimento muito verdadeiro, muito profundo, dos animais sociais que são privados de estímulos sociais e de movimento”, diz chilena Isabel Behncke, que estuda as raízes da natureza humana e de outros animais de comportamento similar.

Confinamento na pandemia — Foto: Getty Images